BRASIL, um país de toLos!: 01 Maio 2005

BRASIL, um país de toLos!

"Acima de tudo procurem sentir no mais profundo de vocês qualquer injustiça cometida contra qualquer pessoa em qualquer parte do mundo. É a mais bela qualidade de um revolucionário" - Che Guevara

03 maio 2005

CESAR MAIA ODEIA O POVO CARIOCA!!!

LOGO APÓS SE REELEGER PARA "GOVERNAR" O MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO, CESAR MAIA DIZ NA IMPRENSA, COMO TODAS AS LETRAS, 'AGORA QUE ME REELEGI, TRATAREI DA MINHA CAMPANHA À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA'. (desprezando o voto de quem o reelegeu para governar até 2008)

DEPOIS ELE NOVAMENTE VOMITA PARA NA IMPRENSA A SEGUINTE BESTIALIDADE: 'AGORA ESTOU DORMINDO ATÉ MELHOR, NEM SINTO MAIS UMA DOR CRÓNICA QUE TENHO NA COLUNA' (se referindo ao fato do governo federal intervir nos hospitais)
__________________________________________

NÃO VOTEM MAIS NESSE HOMEM!!!__________________________________________
Prefeitura retoma hospitais
Decisão unânime do STF põe fim à intervenção federal na Saúde e devolve Miguel Couto e Souza Aguiar ao município
DEPOIMENTOS
...“Os hospitais melhoraram depois da intervenção do Ministério da Saúde. O Souza Aguiar hoje (ontem) não tem fila. Vim trazer minha filha Luciane, que está com muita dor na barriga e com a pele amarelada. Logo que chegamos, ela foi atendida e já fez um exame de sangue. O resultado sai hoje. Antes da intervenção, era um inferno. Cansei de chegar aqui às 14h e sair depois das 19h. Agora acho que o Souza Aguiar vai voltar a ser o que era antes, ou seja, péssimo.”
EDILEUSA ALVES DA SILVA, DOMÉSTICA, 35 ANOS

"Já precisei do Souza Aguiar duas vezes depois da intervenção e achei o atendimento muito melhor. Hoje (ontem) não tinha fila. Minha mãe não esperou meia hora para ser atendida. Quando a prefeitura administrava o hospital, a gente ficava aqui o dia todo e corria o risco de não ser atendido. E, se duvidasse, morria na fila. Hoje (ontem), minha mãe foi atendida e aqui tinha os quatro remédios que ela precisava. Antes ela ainda estaria na fila.”
ADRIANE FERREIRA DE MELO, DO LAR, 27 ANOS
"A população e os profissionais de Saúde são os mais prejudicados com o fim da intervenção nos hospitais do Rio. As unidades requisitadas estavam funcionando em condições melhores depois de receber equipamentos, insumos e remédios do Governo federal. A intervenção era a esperança que muita gente tinha de ter saúde na cidade. Agora a nossa preocupação é com a volta das filas extensas e dos antigos problemas.”
ADELSON ALÍPIO, DIRETOR DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE LEIA A ÍNTEGRA DESSA REPORTAGEM EM http://odia.ig.com.br/ciencia/ci210401.htm
__________________________________________

NÃO VOTEM MAIS NESSE HOMEM!!!__________________________________________
EDITORIAL (Jornal O Dia) - Quinta, 21 de abril de 2005.
Respeito à vida
Foi acertada a decisão do ministro da Saúde, Humberto Costa, ao acatar imediatamente a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) pela suspensão da intervenção federal nos hospitais do Rio de Janeiro, devolvendo à prefeitura a administração do Miguel Couto e do Souza Aguiar. A Justiça não pode ser questionada.
No julgamento, os ministros do STF consideraram os preceitos magnos da autonomia federativa e concluíram que a intervenção era inconstitucional. Pelo aspecto jurídico, a decisão é inatacável. Mas é importante lembrar que a iniciativa da União foi movida principalmente por questões emergenciais de respeito à vida, num momento de desespero para tentar pôr fim ao caos nos hospitais, que a população do Rio tão bem conhece, infelizmente. Algo precisava ser feito. E o que a União tinha à mão naquele momento era a intervenção. O apoio de quem precisa dos hospitais públicos foi imediato e maciço. Não por interesses político-partidários, como tanto gosta de “acusar” o prefeito do Rio, mas simplesmente por questões de realidade prática... LEIA A ÍNTEGRA EM http://odia.ig.com.br/opiniao/op210401.htm
__________________________________________
NÃO VOTEM MAIS NESSE HOMEM!!!__________________________________________
Queijo carioca

Crateras proliferam nas ruas do Rio. Das 16 acompanhadas pelo DIA, só sete foram fechadas pelo serviço Tapa-Buracos, da prefeitura

Haja buracos. Grandes ou pequenos, não importa o tamanho, tem para todo lado no Rio. Espalhados por toda a cidade, eles se multiplicam e se perpetuam por até um ano nas ruas e avenidas. Mas deveriam ser exterminados pelo serviço Tapa-Buracos, da Secretaria Municipal de Obras. O DIA acompanhou a ‘vida útil’ de 16 dessas crateras em 11 bairros das zonas Oeste, Norte e Sul e Centro, desde 31 de março...
LEIA A ÍNTEGRA DESSA REPORTAGEM EM: http://odia.ig.com.br/geral/ge240401.htm
__________________________________________

NÃO VOTEM MAIS NESSE HOMEM!!!__________________________________________
Coordenadoria se defende

A Coordenadoria-Geral de Conservação, responsável pelo atendimento às queixas da população e pelo recapeamento do asfalto, admite atraso nos serviços, mas culpa o mau tempo. “Durante o período de chuvas, o número de buracos nas ruas da cidade aumenta significativamente, chegando muitas vezes a dobrar – o que provoca atraso de até duas semanas”, informou o órgão, em nota.
A divisão da Secretaria Municipal de Obras minimiza as falhas apontadas pelo levantamento do DIA e pelas queixas de moradores. LEIA A ÍNTEGRA DESSA REPORTAGEM EM: http://odia.ig.com.br/geral/ge240403.htm
__________________________________________

NÃO VOTEM MAIS NESSE HOMEM!!!__________________________________________
Indenização

Promotor de Tutela Coletiva e Direitos do Consumidor, Rodrigo Terra garante que qualquer pessoa pode receber indenização pelos problemas causados por buracos nas ruas. “É um direito do cidadão garantido por lei. Ninguém pode ser lesado por falha que deveria ser corrigida pelo município”, explicou.
“Basta procurar um advogado e entrar com... LEIA A ÍNTEGRA DESSA REPORTAGEM EM: http://odia.ig.com.br/geral/ge240404.htm
__________________________________________

NÃO VOTEM MAIS NESSE HOMEM!!!__________________________________________
EDITORIAL (Jornal O Dia) - Segunda, 25 de abril de 2005.
Buracos do Rio
Sessenta reclamações por dia, e o serviço Tapa-Buracos da Prefeitura do Rio põe a culpa no clima, alegando que há atrasos de até duas semanas no atendimento devido ao período de chuvas, que faz o número de buracos dobrar.
Mas não é bem assim. É pior. Atraso de duas semanas seria saudado com alegria por Sérgio Dornelas, morador de Campo Grande que, como o DIA mostrou ontem, espera serviço desde 17 de fevereiro, quando foi pessoalmente à Coordenadoria de Conservação da Secretaria Municipal de Obras porque não conseguia atendimento por telefone. E a pesquisa da reportagem... LEIA A ÍNTEGRA DESSA REPORTAGEM EM: http://odia.ig.com.br/opiniao/op250401.htm
DEPOIS DISSO TUDO (AINDA TEM MUITO MAIS PELA FRENTE), VOCÊ AINDA VAI VOTAR NESSE HOMEM?

online visitas